Terça-feira
19 de Janeiro de 2021 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Noticias

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,28 5,28
EURO 6,37 6,37
IENE 0,05 0,05

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
29ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Campinas, SP

Máx
30ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
29ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
29ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Suzano, SP

Máx
29ºC
Min
21ºC
Pancadas de Chuva a

Centro para dependentes químicos em São José do Rio Preto deverá manter atividades suspensas

Local apresenta persas irregularidades.     A 4ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo negou provimento a recurso e manteve suspensa as atividades de um centro terapêutico para dependentes químicos conveniado ao Município de São José do Rio Preto e que vinha operando de forma irregular. O estabelecimento deverá permanecer fechado até que apresente condições de funcionamento.     O Ministério Público paulista, em autos de ação civil pública, apontou que o local atuava em desconformidade com as normas legais, colocando os internos em situação de risco: não havia separação de adolescentes e adultos, nem plano terapêutico formalizado; seguranças da clínica portavam armas de fogo e o local apresentava condições físicas precárias de higiene, com forte cheiro de esgoto e pouca iluminação.     O relator do recurso, desembargador Osvaldo Magalhães, afirmou que as provas contra a apelante são contundentes e revelam que “os serviços prestados pela ré se revelaram extremamente deficientes e contrários à dignidade da pessoa humana e à finalidade pública”, contrariando o contrato firmado com a Administração, em flagrante “ilegalidade e menosprezo ao objeto da avença, firmada mediante recursos da coletividade”.     Segundo Osvaldo Magalhães, “é inadmissível o menoscabo, além dos fortes indícios de desvio de finalidade, manifestado pela ré, instituição prestadora de atendimento terapêutico, destinada ao tratamento de pessoas portadoras de distúrbios psíquicos e dependentes químicos, tanto em relação aos pacientes, como em relação à Administração Pública”.     Participaram do julgamento, que teve votação unânime, os desembargadores Paulo Barcellos Gatti e Ana Liarte.     Apelação nº 1040284-27.2018.8.26.0576          imprensatj@tjsp.jus.br     Siga o TJSP nas redes sociais:     www.facebook.com/tjspoficial     www.twitter.com/tjspoficial     www.youtube.com/tjspoficial     www.flickr.com/tjsp_oficial     www.instagram.com/tjspoficial
26/11/2020 (00:00)
Visitas no site:  272923
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia