Terça-feira
15 de Outubro de 2019 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,13 4,13
EURO 4,55 4,55
IENE 0,04 0,04

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
25ºC
Min
18ºC
Chuva

Hoje - Campinas, SP

Máx
30ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
25ºC
Min
18ºC
Chuva

Hoje - São Paulo, SP

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuva

Hoje - Suzano, SP

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuva

Desembargadora francesa, que visitou o TJSP, retrata o que viu no PJ paulista

Foco do trabalho foi a conciliação e mediação.    A desembargadora da Corte de Apelação da Guiana Francesa, Christine da Luz, que foi recebida em São Paulo, no dia 27 de maio, pelo vice-presidente da Corte, desembargador Artur Marques da Silva Filho, e pelo juiz assessor da Vice-Presidência, Walter Godoy dos Santos Junior, ao retornar ao seu país, apresentou à sua Corte o “Etude de la conciliation et de la médiation en matière civile dans le ressort de la cour d’appel de São Paulo, au Brésil”, resultado de avaliação feita, no período de 20 a 31 de maio de 2019, quando, segundo ela própria, “fez imersão” em unidades judiciárias ligadas ao tema. “Graças a essa completa imersão consegui identificar nas práticas observadas o alto nível dos atores (conciliadores), bem como das estruturas onde essas medidas foram implementadas”. Segundo a magistrada, “uma vez estabelecido o quadro jurisdicional e implantadas as estruturas necessárias à instalação de centros de conciliação e mediação, que são notadamente bem organizados, geram-se ótimos resultados e aliviam-se as instâncias judiciais particularmente cheias”. Ainda de acordo com a desembargadora Christine da Luz, “esse estudo provou ser ainda mais instrutivo, por ter a oportunidade de realizar no maior tribunal da América Latina, que é marcado pelo seu gigantismo e modernidade”. Na visita ao Palácio da Justiça, a desembargadora, que estava acompanhada da juíza da 1ª Vara da Família e das Sucessões da Comarca de Jacareí, Angela Schmidt Lourenço Rodrigues, conheceu o funcionamento das câmaras de julgamento e as belezas arquitetônicas do edifício-sede do Judiciário paulista. Seus estudos não ficaram restritos ao Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec) e aos Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs) da Capital, como no do Foro Regional do Tatuapé ou em Itaquera-Guaianazes. Ela conheceu também a experiência de mediação na Comarca de Jacareí e visitou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Resolução 125/10 e os resultados da Semana Nacional de Conciliação, realizada desde 2006. Veja a
05/07/2019 (00:00)
Visitas no site:  110355
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia