Segunda-feira
18 de Março de 2019 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Noticias

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,83 3,83
EURO 4,34 4,34
IENE 0,03 0,03

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
30ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Campinas, SP

Máx
29ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
30ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
30ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Suzano, SP

Máx
30ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

m semana de homenagens à mulher, STJ lança programa Equilibra*

Publicado em 12/03/2019Iniciativa será coordenada por uma comissão permanente voltada ao estudo de políticas de gênero e análise de dados O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, lançou na segunda-feira (11) o programa Equilibra, voltado à implementação de políticas destinadas à participação feminina no tribunal. O evento inicia uma semana de atividades destinadas às mulheres.Segundo o ministro Noronha, o programa será coordenado por uma comissão permanente voltada ao estudo de políticas para as mulheres e análise de dados. A comissão também será responsável pela organização de eventos e por propor medidas de conscientização e aprimoramento das condições de trabalho das mulheres, incentivando sua maior participação no tribunal.“Por meio do Equilibra, daremos continuidade e perenidade à política de participação institucional feminina”, disse. O lançamento contou com a presença da representante interina da ONU Mulheres Brasil, Ana Carolina Querino, e dos ministros Raul Araújo e Moura Ribeiro.Mudança de comportamentoAna Carolina destacou que o STJ possui um alto percentual de mulheres em cargos de liderança, o que não é comum na realidade no Poder Judiciário. A iniciativa do programa, segundo ela, representa “um compromisso institucional do STJ de promover ações de empoderamento feminino”. A representante da ONU Mulheres Brasil afirmou que por meio de parcerias como a firmada no dia 28 de fevereiro, com a adesão do tribunal ao Movimento ElesPorElas (HeForShe), será possível alcançar a igualdade entre homens e mulheres.Em sua fala, o ministro Noronha destacou que o Judiciário tem um importante papel, não só de garantir a proteção e a igualdade às mulheres, mas também “de ser copartícipe da inclusão efetiva delas em todos os espaços formais de poder, permitindo-lhes atuar juntamente com os homens nas tomadas de decisões da sociedade brasileira”.Para ele, é necessária uma mudança no comportamento de toda a sociedade brasileira. “Nós precisamos educar o jovem brasileiro, para que ele não só pregue, mas haja com respeito. A educação precisa avançar, e muito, em relação ao respeito às mulheres”, ressaltou.O ministro lembrou os atos normativos publicados no dia 8 de março que tiveram o intuito de fortalecer a participação feminina no tribunal: “Sabemos que um bom ambiente, que reconheça e respeite as diferenças, é imprescindível para que se assegure o direito à igualdade entre homens e mulheres. O STJ, ao longo de sua história, tem investido em instrumentos que minimizem as dificuldades encontradas pelas mulheres”.Mulheres ArtistasO lançamento do programa coincidiu com a abertura da exposição Mulheres Artistas do STJ. Servidoras foram convidadas a expor produções próprias, como pinturas, fotografias e cerâmicas. As obras podem ser vistas até 15 de março, no salão de recepções do tribunal.O evento contou ainda com duas apresentações musicais: na primeira, a servidora Iraci Guimarães cantou árias de óperas como La Boheme, Carmen e Madame Butterfly. Depois, a servidora Gabriela Batista Rodrigues cantou composições de Cássia Eller e Aretha Franklin.*Fonte: STJ  Assuntos:STJ
12/03/2019 (00:00)
Visitas no site:  42898
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia