Quinta-feira
04 de Março de 2021 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,73 5,73
EURO 6,92 6,92
IENE 0,05 0,05

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
28ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Campinas, SP

Máx
27ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
29ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
27ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Suzano, SP

Máx
27ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

Mantida condenação de homem que, por ciúmes, ateou fogo em veículo

Caminhão estava em um posto de combustíveis. A 11ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou um homem por causar incêndio em um veículo. A pena foi fixada em quatro anos e oito meses de reclusão, em regime inicial fechado. Consta nos autos que o réu passou ameaçar a vítima por não aceitar seu envolvimento com uma ex-namorada dele. No dia dos fatos, após o ofendido ter deixado seu caminhão em um autoposto, foi avisado por um amigo de que o acusado queria colocar fogo em seu veículo. O motorista chegou a acionar a polícia, mas não conseguiu evitar o ocorrido. De acordo com o desembargador Alexandre Almeida, relator da apelação, as provas juntadas aos autos comprovam que o acusado foi responsável pelo incêndio. O magistrado destacou elementos determinantes da autoria do crime, como as pergências entre o réu e a vítima (proprietária do veículo), as ameaças anteriormente feitas pelo acusado ao ofendido e o fato de ser a única pessoa, além do vigia do posto, presente no local dos fatos no momento do incêndio. Para a fixação da pena, o relator considerou o fato de o crime ter ocorrido em um posto de combustíveis, “com risco de causar imensurável dano de difícil contenção, que só não ocorreu graças à pronta intervenção dos policiais e do funcionário do estabelecimento”. Além disso, afirmou que o regime fechado é o único possível, tendo em vista a natureza do crime e o réu ter uma condenação transitada em julgado (reincidência específica). O julgamento teve a participação da desembargadora Maria Tereza do Amaral e do desembargador Xavier de Souza. A decisão foi unânime. Apelação nº 0009573-47.2018.8.26.0482 imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais: www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial
17/02/2021 (00:00)
Visitas no site:  287013
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia