Segunda-feira
23 de Setembro de 2019 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,17 4,17
EURO 4,59 4,59
IENE 0,04 0,04

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
14ºC
Min
12ºC
Possibilidade de Chu

Hoje - Campinas, SP

Máx
15ºC
Min
11ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
16ºC
Min
11ºC
Possibilidade de Chu

Hoje - São Paulo, SP

Máx
16ºC
Min
12ºC
Possibilidade de Chu

Hoje - Suzano, SP

Máx
16ºC
Min
12ºC
Possibilidade de Chu

Negado habeas corpus a acusados de extorsão em ocupações irregulares

Decisão é da 14ª Câmara Criminal.           A 14ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo negou hoje (22) pedido de habeas corpus a dois acusados de extorsão, esbulho possessório e associação criminosa. Eles são acusados, juntamente com outros réus, de extorquir moradores de ocupações irregulares no Centro de Capital, entre elas o edifício Wilton Paes de Almeida, no Largo do Paissandu, que desabou em maio de 2018.         O desembargador Laerte Marrone, relator do caso, afirmou que a denúncia descreve como ocorreram as extorsões e que estão presentes os requisitos da prisão preventiva para garantir a manutenção da ordem pública. De acordo com o magistrado, há indicação de que houve violência e grave ameaça contra vítimas, “pessoas simples, que se encontram em situação de extrema vulnerabilidade”.         Segundo o voto, depoimentos dão conta de que a organização prossegue com suas atividades. “Nesse estágio e à luz do que existe nos autos, entendo que existem dados para a manutenção da prisão preventiva para garantir a ordem pública.”         Também participaram do julgamento os desembargadores Marco de Lorenzi e Miguel Marques e Silva. A votação foi unânime.           Habeas Corpus nº 2146639-89.2019.8.26.0000                   imprensatj@tjsp.jus.br
22/08/2019 (00:00)
Visitas no site:  99948
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia