Quinta-feira
04 de Março de 2021 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,73 5,73
EURO 6,92 6,92
IENE 0,05 0,05

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
28ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Campinas, SP

Máx
27ºC
Min
19ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
29ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - São Paulo, SP

Máx
27ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Suzano, SP

Máx
27ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva a

TJSP mantém condenação de homem que incendiou casa de ex-companheira

Réu não aceitava separação. A 7ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São manteve sentença que condenou um homem por colocar fogo na casa de sua ex-companheira. A pena foi fixada em quatro anos de serviços à comunidade e prestação pecuniária. Consta nos autos que a vítima e o acusado estavam separados. No dia dos fatos, a ofendida estava caminhando quando foi abordada pelo réu, que ameaçou colocar fogo na residência dela, pois não aceitava o fim do relacionamento. Ao chegar em casa a vítima se deparou com o fogo. Devido ao incêndio, a ofendida teve um prejuízo superior a R$ 10 mil. O desembargador Otavio Rocha, relator do recurso, afirmou que o crime praticado se enquadra na definição legal de “violência contra a mulher” e que o laudo pericial comprova a “existência do perigo comum derivado da conduta do réu”, que constituiu atentado à integridade física e ao patrimônio da vítima. Além disso, Otavio Rocha ressaltou que o fato de vítima e réu já estarem separados à época dos fatos “é irrelevante”. O magistrado destacou que “configura ’violência doméstica e contra a mulher’, nos termos do artigo 5º da Lei nº 11.340/06, ‘qualquer ação ou omissão baseada no gênero que cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial’, com total independência da natureza da infração praticada e da coabitação entre o agente e a vítima”. O julgamento teve a participação dos desembargadores Reinaldo Cintra e Fernando Simão. A decisão foi unânime. Apelação nº 0002095-09.2018.8.26.0572   imprensatj@tjsp.jus.br Siga o TJSP nas redes sociais: www.facebook.com/tjspoficia www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial
14/01/2021 (00:00)
Visitas no site:  287036
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia