Sábado
18 de Janeiro de 2020 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Noticias

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,18 4,18
EURO 4,64 4,64
IENE 0,04 0,04

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
22ºC
Min
17ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Campinas, SP

Máx
25ºC
Min
17ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
23ºC
Min
17ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - São Paulo, SP

Máx
23ºC
Min
18ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Suzano, SP

Máx
23ºC
Min
18ºC
Chuvas Isoladas

Tribunal do Júri condena gerente de bar por feminicídio

Sentença foi de 30 anos de reclusão em regime fechado. A 1ª Vara do do Júri da Capital condenou, na noite desta quinta-feira (9), um gerente de bar pela morte de uma jovem. A pena foi fixada em trinta anos de reclusão, em regime inicial fechado, sob a acusação de feminicídio qualificado e estupro. Os jurados, quatro homens e três mulheres, reconheceram que o réu causou a morte da vítima com golpes de bastão, para assegurar a impunidade do estupro anteriormente praticado. Consta dos autos que o crime ocorreu no interior de um bar, de propriedade do primo do acusado, localizado no bairro da Mooca, Zona Leste da Capital, na manhã de 14 de dezembro de 2016. Ainda conforme os autos, o acusado, acompanhado de dois outros jovens, foi a uma casa noturna na noite do dia 13, para comemorar o aniversário de um deles, onde conheceu duas moças. Lá permaneceram por toda a madrugada. Por volta das 7 horas da manhã, o grupo se dirigiu ao bar em que o acusado era gerente, onde ficaram por cerca de duas horas, quando os dois rapazes e uma das moças foram embora. O crime teria ocorrido quando o casal ficou a sós, com as portas do estabelecimento fechadas. O acusado fugiu após o crime e foi preso dias depois no estado da Bahia. Ele assumiu ter matado a jovem mas alegou lapso de memória quanto ao crime de estupro. Na sentença, o juiz Luis Gustavo Esteves Ferreira destacou que o crime “foi cometido pelo acusado com brutalidade incomum, incompatível com o mais elementar sentimento de piedade humana.” O julgamento foi finalizado às 21h13. O réu não poderá apelar em liberdade. Cabe recurso da decisão.   Processo nº 0000120-91.2017.8.26.0052   imprensatj@tjsp.jus.br
09/01/2020 (00:00)
Visitas no site:  161822
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia