Terça-feira
15 de Outubro de 2019 - 
Silva & Sant Anna Soluções Profissionais para o seu Negócio
Eis que as coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo. 2 Co 5:17

Controle de Processos

Por favor, entre com o seu usuario e senha

Newsletter

Deixe seu email para enviarmos nossos informativos.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Fale Conosco

Rua Luiz Bianconi 92 
Jardim Carlos Cooper
CEP: 08664-250
Suzano / SP
+55 (11) 42920279

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,13 4,13
EURO 4,55 4,55
IENE 0,04 0,04

Previsão do tempo

Hoje - Guarulhos, SP

Máx
25ºC
Min
18ºC
Chuva

Hoje - Campinas, SP

Máx
30ºC
Min
17ºC
Pancadas de Chuva a

Hoje - Mogi das Cruzes...

Máx
25ºC
Min
18ºC
Chuva

Hoje - São Paulo, SP

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuva

Hoje - Suzano, SP

Máx
26ºC
Min
19ºC
Chuva

Tribunal mantém condenação de homem que agrediu esposa

Vítima sofreu lesões de natureza leve.           A 13ª Câmara de Direito Criminal manteve sentença de homem condenado por agredir a esposa. Pelo crime, ocorrido na cidade de Tupi Paulista, ele foi sentenciado a três meses de detenção em regime aberto.         Consta dos autos que o acusado chegou embriagado em casa e, após discussão com a esposa, acabou agredindo-a, causando lesões de natureza leve. Em seu depoimento, a vítima afirmou que já sofrera agressões anteriores e que na data dos fatos a filha do casal, de oito anos de idade, presenciou o ocorrido.         Em seu voto, o relator do recurso, desembargador Luiz Augusto de Siqueira, afirmou que o resultado do exame de corpo de delito não deixa dúvidas sobre a agressão. “Não é crível tratar-se, portanto, de mera discussão de casal”, escreveu.  “Diga-se que o ciclo da violência doméstica, em geral, se inicia com ameaças, seguindo-se para agressões leves. A mulher ameaçada ou agredida, diante de pedidos de perdão ou de promessas de mudança de comportamento, reata o relacionamento, desmentindo, até mesmo em juízo, a ocorrência dos delitos. Os episódios, todavia, se repetem, com agressões cada vez mais graves, chegando, em alguns casos, lamentavelmente, até ao assassinato da vítima. Daí porque, impossível a absolvição, como pretende a defesa”, concluiu.         O julgamento teve a participação dos desembargadores José Antonio de Paula Santos Neto e Roberto Galvão de França Carvalho e teve votação unânime.         Para saber a quem recorrer em casos de violência doméstica e de gênero, clique aqui.         Apelação nº 0002586-12.2018.8.26.0638                    imprensatj@tjsp.jus.br
07/07/2019 (00:00)
Visitas no site:  110360
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia